29 de out de 2009

Nintenerds entrevista Laura Intravia – a “Flute Link” do Video Games Live

Após os shows no Brasil, o Video Games Live passou por um intervalo de duas semanas. O Nintenerds, aproveitando essa folga, entrevistou a simpática Laura Intravia, conhecida pelo apelido “Flute Link” e sua interpretação no concerto gamístico. Mas antes da entrevista, confira a apresentação dela em sua última passagem por São Paulo:





Laura Intravia, 22 anos e moradora de Nova York, formou-se recentemente na faculdade de Ithaca para composição de músicas e performance vocal. Por motivos financeiros não pôde ingressar nos outros cursos de graduação, mas essa foi uma das razões que a possibilitou de se apresentar no VGL e também de vir ao Brasil. Atualmente atua em várias áreas musicais, cantando e compondo músicas.


Além de seu talento impressionante (basta assistir ao vídeo acima), Laura é também muito simpática. Mesmo com muito trabalho a realizar, ela aceitou ser entrevistada pelo Nintenerds e toda a conversa pode ser conferida abaixo.


1- Nintenerds: Como foi seu primeiro contato com os video games? Há algum game favorito?

Laura Intravia:
Minha mais antiga lembrança com os video games é de quando eu era bem novinha, com uns quatro ou cinco anos. Minha família tinha o hábito de visitar meus tios todos os anos, em Novembro, e eles tinham o Super Nintendo que meus irmãos mais velhos e primos jogavam muito. O primeiro game que eu vi foi Super Mario World e meus primos ficavam horas tentando derrotar os castelos de Reznor. Eu achava isso um máximo! Eu era muito nova para jogar, então só assistia. Quando eu fiquei mais velha, meus games favoritos no SNES se tornaram Donkey Kong, Super Mario World, Aladdin da Capcom e Super Mario Kart. Eu ainda jogo esses games quando visito meus tios. Também brinquei muito com o Sega Genisis e meu game predileto era Sonic The Hedgehog 2, no qual meu irmão jogava com o Sonic e eu com Tales. Aos 12 anos, eu e meus irmãos juntamos dinheiro e compramos o Nintendo 64, logo em seu lançamento. É sem dúvidas o console que eu mais gosto e que possui os melhores jogos: Banjo-Kazooie, StarFox 64, Mario Kart 64, os Mario Party, Paper Mario e com certeza Legend of Zelda: Ocarina of Time e Majora’s Mask.


2- Nintenerds: Você acredita que as trilhas sonoras são importantes para os video games?

Laura Intravia: Com certeza! Há muitos elementos importantes que compõem os bons games, como o design, a câmera, os controles e os mapas, por exemplo. Eu acho que a trilha sonora é possivelmente o elemento mais importante, porque atinge suas emoções e faz com que você se sinta dentro do game. Quando jogava Sonic 2, eu sempre me animava e ficava completamente elétrica porque as músicas do game eram rápidas, animadas e cheias de energia. Em The Legend of Zelda: Ocarina of Time, o tema Zelda’s Lullaby é tranqüilo e tenro, fazendo com que você se sinta da mesma forma ao encontrar a própria Princesa Zelda. As trilhas sonoras dos games funcionam do mesmo jeito que as dos filmes: elas realçam as emoções em cada cena e assim você consegue entender como que os personagens estão se sentindo e pensando.


3- Nintenerds: Jogos como Rock Band e Guitar Hero se tornaram muito famosos. Na sua opinião, esses games são uma boa forma de trazer a música às pessoas ou eles podem prejudicar as trilhas sonoras dos outros games?

Laura Intravia: Sim e não! Eu acredito que, se o jogador tocar e cantar músicas já existentes de grupos e bandas e não dos próprios video games, então fica realmente difícil para que estes games possuam sua própria e reconhecida trilha sonora. Ou seja, tais games não estão influenciando na apreciação de músicas originadas única e exclusivamente deles mesmos. Por outro lado, eles estão cooperando consideravelmente na apreciação por músicas em geral! Quando eu joguei esses games, descobri várias músicas de grupos que eu nunca havia escutado anteriormente e passei a adorá-los e a querer escutar mais de suas músicas! Acho que esses games são perfeitos para fazer as pessoas ouvirem mais tipos de músicas e isso é ótimo!


4- Nintenerds: O número de garotas jogadoras aumentou bastante e você é uma prova disso. Quais poderiam ser as causas para tal crescimento?

Laura Intravia: (risos) É verdade! Eu tenho encontrado muitas garotas gamers. Só consigo deduzir que é por causa da maior quantidade de games no mercado que agradam ambos os homens e as mulheres. Há títulos que se focam mais no público masculino, como é o caso de Grand Theft Auto, Call of Duty e God of War, por exemplo. Mas games como Mario, Zelda e principalmente a série Final Fantasy não possuem um público de um sexo específico e assim garotos e garotas podem se interessar por eles. À medida que mais mulheres tornam-se jogadoras, maior é a expansão desse público. Graças a Deus! (risos)


5- Nintenerds: Como você foi convidada para trabalhar no Video Games Live? Pretende tocar outras músicas?

Laura Intravia:
É uma história engraçada! Eu já havia realizado minha apresentação de “Flute Link” no ano passado durante o Anime Convention. Meus amigos me filmaram e publicaram o vídeo no Youtube, e eu me tornei super popular na Internet! No último mês de Maio, o Tommy Tallarico (criador do VGL) assistiu ao vídeo no Youtube e me perguntou se eu estava interessada em tocar em um show. Foi incrível! A minha primeira apresentação no VGL foi em San Diego, em Julho, e minha performance foi um sucesso. Então me convidaram para tocar em outros shows, inclusive no Brasil! Eu adoraria tocar mais músicas! Além de Zelda, já participei de outras trilhas sonoras no concerto, como em Chrono Cross, God of War e Diablo III. Espero poder criar novos arranjos musicais para o VGL.


6- Nintenerds: Você sentiu alguma diferença entre o público brasileiro e os demais? Já havia visitado o Brasil em outra oportunidade e/ou pretende fazê-lo no futuro?

Laura Intravia: Definitivamente o público brasileiro é bem mais louco que o norte-americano! (risos) O nível de energia no Brasil é muito diferente, o que é impressionante! Os brasileiros são muito passionais em relação às trilhas sonoras dos games e eles não sentem medo em expressar isso! (risos) De todas as minhas performances, a que eu mais amei foi a do Brasil. Espero voltar no ano que vem! Eu nunca havia saído do país antes desse tour do VGL, então a viagem ao Brasil foi uma nova experiência para mim e eu queria conhecer tudo sobre o país. Gostaria de conhecer melhor as praias do Rio de Janeiro e de Salvador, ainda mais se eu voltar algum dia.


7- Gostaria de mandar um recado aos seus fãs?

Laura Intravia: Façam músicas, joguem, vivam a vida intensamente e sigam suas paixões (a minha paixão me trouxe ao Brasil!!!).






“Minha vida parece uma loucura com tantas direções a seguir. Quando as pessoas perguntam qual é o meu sonho, respondo que quero ser música de qualquer jeito!” Laura Intravia.

10 comentários:

  1. Fantástico!! Todos gamers gostam de saber o que se passa nas cabeças das garotas gamers, e que bom que está aumentando!

    Adorei a entrevista, muito completa! Adorei também que ela tem seu sonho bem definido!

    Parabéns Nintenerds, façam mais entrevistas assim! (sugestão para o próximo ser o Rafael da Latamel hehe)

    ResponderExcluir
  2. show de bola..melhor de flauta essa entrevista..essa era a surpresa???

    Rafael da Latamel hauahuahu gostei da rima..

    ResponderExcluir
  3. parabens laura, vc tem toda razão sobre as trilhas sonoras e td mais, e adorei seu show, mas eh isso ai vlw e volta mais vezes e vlw nintenerds pela entrevista e meus parabens foi um belo tópico.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Panettoni!
    Uma matéria internacional , ficou demais mesmo! Parabéns e espero pelos proximos!
    Vlw! Apesar de nao ter ido no show , só de ver o video deu para ter uma noção! =D

    ResponderExcluir
  5. Eu vi "essa" Link lá no VGL.

    Parabéns Nintenerds pela entrevista, curti demais.

    ResponderExcluir
  6. D-E-T-O-N-O-U! [2]

    Que surpresa einh cara? Desse jeito vc destrói nossos corações! haha

    ResponderExcluir
  7. D-E-T-O-N-O-U! [3]

    Panettas ownou mais uma vez!
    Bela entrevista

    ResponderExcluir
  8. O.O "O NINETENERDS ESTÁ CADA VEZ MAIS COMPLEXO E REQUINTADO,E AGORA COM MATÉRIAS INTERNACIONAIS?"

    parabéns,ficou muito boa mesmo a entrevista,gostei das perguntas relacionadas ao publico feminino que ainda não tão presente nos games,mais vejo que isso está mudando!

    Parabéns panettoni,e ao nintenerds!

    ResponderExcluir
  9. Muito bacana mesmo a entrevista, Panettoni, porque trouxe curiosidades da artista menos conhecida do público brasileiro do VGL 2009. A Laura Intravia falou de muitas coisas que não sabia. Por exemplo, nem fazia ideia que ela chegou a participar do segmento de Diablo III em outras apresentações.

    - Alexei

    ResponderExcluir