16 de jul de 2008

Nintendo na E3 2008

Alegria para os gamers casuais, tristeza aos Hardcore.





A conferência da Nintendo na feira de games Electronics Entertainment Expo (E3) deste ano, realizada nesta terça-feira de Julho em Los Angeles, foi mais um capítulo da nova face da empresa japonesa em atender os lucrativos gamers casuais.


As poucas novidades e um orgulho enorme provado por números espantosos, fizeram da apresentação da BigN algo extremamente abaixo das expectativas dos fãs.





A apresentação teve início com Shaun Roger White, grande campeão de snowboarding, que demonstrou o mais novo jogo desse esporte para Wii, o Shaun White's Snowboarding. Com o uso da Balance board, a balança de Wii Fit, Shawn fez algumas manobras até ser interrompido pela apresentadora Cammie Dunnaway, vice-presidente da Nintendo of America e atual gerente de marketing e vendas da empresa, que também mostrou suas habilidades no game. Shaun White's Snowboarding será lançado no final deste ano nos Estados Unidos.





Após a demonstração, Cammie chamou para o palco o Presidente da BigN Satoru Iwata. Muito aplaudido, o chefão iniciou seu discurso falando das mudanças que ocorreram nos últimos anos para o mercado dos games.


“Acredito que todos reconheçam que houve uma mudança no mercado de games global. Cinco anos atrás, em maio de 2003, tive minha primeira experiência com a E3 no cargo de presidente da Nintendo. Lembro-me muito daquele dia, pois eu sabia que todas as pessoas tinham visões pessimistas sobre o futuro da Nintendo. Aquele período não foi agradável e as pessoas estavam apenas usando o que o senso comum enxergava sobre o mercado de games.”


“Preciso admitir que até mesmo os funcionários da Nintendo não imaginavam que cinco anos depois o mercado mudaria tão rápido, que poderíamos vender balanças de banheiro para todo o mundo.





“Quando uma mudança tão grande assim ocorre, o senso comum passa a não fazer mais sentido e eu acredito que foi isso que ocorreu no mercado de videogames. Hoje, eu gostaria de passar alguns minutos discutindo o que realmente mudou nesse novo paradigma.”


“Primeiramente, nós agora estamos vendendo games por um período muito maior de tempo. No passado, parecia impossível esperar que qualquer software vendesse por dois ou três anos. Mas títulos como Nintendogs, Brain Age, New Super Mario Bros. e Mario Kart DS não param de vender, mesmo com tanto tempo no mercado. Isso, na minha opinião, é uma enorme mudança.”


“Segundo, eu acredito que já não faz mais parte do senso comum a idéia de que os jogadores só querem jogar novos games com gráficos incríveis e alto nível de conteúdo. É claro que estou ciente que muitos gamers do mundo inteiro exigem jogos assim e nós da Nintendo continuamos a suprir tais necessidades. Hoje, quero que saibam que nossos times de criação de Mario e Zelda estão trabalhando duro para trazer novos títulos ao Wii.”


“Por outro lado, é verdade também que jogos com novos conceitos como Wii Sports e Wii Fit receberam suporte de muitos consumidores por outras razões. Pequenas equipes com baixo orçamento conseguem capturar uma enorme audiência se possuírem grandes idéias. E esse é tanto o desafio quanto a oportunidade do sistema WiiWare.”


“Terceiro, os usuários de games mudaram. Antigamente nosso senso comum para com o mercado de games era muito limitado. Mas agora aprendemos que interfaces intuitivas ajudam a atrair aqueles que nunca levavam os videogames em consideração. Tal aumento de audiência modificou a maneira de se vender hardwares de videogames.”


“Antigamente os consoles eram comprados durante feriados para presentear alguém. Hoje, as pessoas os compram para elas mesmas e em qualquer parte do ano. Na Europa os consumidores têm comprado mais de 200.000 unidades de Nintendo DS por semana, como se sempre houvesse feriados semanais. Aqui na América, os jogadores compraram em média 700.000 unidades de Wii nos últimos três meses.”


“Por último e de uma maneira bem inesperada, nós estamos vendo um novo tipo de interação social. Ano passado afirmei que nós iríamos destruir a enorme barreira entre os gamers e os não-gamers. Wii Sports e Wii Play mostraram que isso era possível, mas apenas eles não eram o bastante. Mario Kart Wii e Wii Fit criaram mais dessas misturas. Mas talvez a maior evidência disso seja o jogo Guitar Hero 3 que também existe para várias outras plataformas.”


“Para terminar, quero dizer que nós da Nintendo somos pioneiros em criar novos paradigmas e esperamos que vocês gostem das novidades que apresentaremos hoje.”





Após o discurso de Satoru Iwata, no telão é mostrado um vídeo de Katsuya Eguchi, criador de Animal Crossing, que fala do novo game da franquia: Animal Crossing City Folk para Wii. O jogo é muito parecido com seu antecessor do Nintendo DS, mas a diferença deste é a cidade (fora do vilarejo) na qual o personagem pode comprar itens, arrumar o cabelo, deixando a cara de seu personagem exatamente como seu Mii, e muitas outras coisas inéditas. Além disso, é apresentada uma grande novidade para o Wii, o acessório WiiSpeak que é colocado sobre o sensor de movimentos do console. Ele capta os sons no local em que a pessoa estiver jogando, transmitindo em forma de mensagens de celular para outro jogador de Animal Crossing City Folk em qualquer parte do mundo utilizando o Nintendo Wi-Fi Connection.






A conferência continuou com Reggie Fills-Aime, presidente da Nintendo of America. Como já é costume em suas apresentações, Reggie começa a mostrar várias estatísticas e a fazer suposições do futuro próximo da empresa:


• Já foram vendidas 10 milhões de unidades de Wii;
• Já foram vendidas 20 milhões de unidades de DS;
• DS e Wii, juntos, representam mais de 5 bilhões nas lojas norte-americanas;
• Espera-se ter um total de 100 milhões de unidades de DS vendidas até o fim deste ano fiscal;
• As vendas de Nintendo DS neste ano estão 12% maiores do que em 2007, diferente do que as pessoas esperavam;
• Pokémon é a franquia que mais vendeu jogos para DS no mundo durante esta primavera norte-americana;
• Pokémon Mystery Dungeon vendeu sozinho mais de 600 mil cópias em apenas 6 semanas;
• Todos os jogos da franquia Pokémon venderam juntos mais de 180 milhões de unidades;
• Esses tipos de games fizeram o DS ter um crescimento de vendas de 29% do ano passado para cá nos Estados Unidos;
• Wii deverá ser o melhor console vendido dessa geração nos EUA, assim como já ocorreu no mundo;
• Nenhum console vendeu mais games em seus primeiros 19 meses do que o Wii;
• Apenas na América, 19 jogos das onze Third Parties venderam mais de 400.000 cópias.


Após essa enxurrada de números, foi apresentado um trailer com três diferentes jogos para Wii. “Escolhemos em limitar nosso preview para apenas três novos games que se diferem em interface para o Wii” - disse Reggie – “Dêem uma olhada”.


Os jogos são:


• Star Wars: The Clone Wars, no qual o Wiimote praticamente se transforma em um sabre de luz;
• Rayman Raving Rabbids: TV Party, trazendo os coelhinhos malucos de volta para o Wii e com inúmeros novos mini-games e diversas maneiras de se jogar cada um (até mesmo com a Balance Board);
• Call of Duty: World at War, uma das séries de tiro mais legais da nova geração e com suporte ao acessório em forma de arma WiiZapper.





Ao término do breve vídeo, a apresentadora Cammie Dunnaway voltou para falar do Nintendo DS e algumas estatísticas do portátil:


• Em 2005, apenas 30% das pessoas que jogavam DS eram mulheres. Em 2007 o número quase se igualou com os homens, chegando a 48%;
• O novo jogo Guitar Hero On Tour para DS vendeu 300.000 cópias nos EUA em sua primeira semana;
• Um novo jogo da franquia Guitar Hero está chegando. Chamado de Guitar Hero: On Tour Decades, o game trará a possibilidade de transferir músicas com amigos de DS para DS;
• O Nintendo DS será o único portátil a ter o jogo SPORE.





Em seguida, foi mostrado um trailer de ambos os jogos.
Cammie apresentou então o novo jogo da franquia Pokémon: Pokémon Ranger - Shadows of Almia. O game dos monstrinhos de bolso será lançado no dia 10 de Novembro deste ano nos EUA.





Para não deixar os Hardcore gamers na mão, a Nintendo anunciou GTA: Chinatown Wars para DS. O jogo trará uma cidade moderna, novos personagens e um amplo espaço. “Os fãs de GTA irão adorar”, afirmou Cammie.





Promessas de novas funcionalidades para o portátil da Nintendo foram feitas pela apresentadora. Além disso, ela comentou do sucesso de Cooking Navi no Japão, jogo que ensina às pessoas vários pratos de comida e todo o processo para fazê-los (sua versão norte-americana será lançada no final deste ano). “O Nintendo DS está se transformando de um excelente aparelho aos gamers, para um ótimo companheiro de todas as pessoas!”.


Reggie assume mais uma vez a palavra e apresenta o novo acessório para o controle do Wii: o Wii Motion Plus. Esse pequeno aparelho dará ao Wiimote uma maior precisão e respostas mais rápidas e intensas. Junto com o novo acessório será lançado um game para mostrar suas capacidades. Esse jogo será Wii Sports Resort, trazendo a mesma idéia de Wii Sports, mas com diversos esportes de praia, como jogar discos para seu cachorro pegar, corrida de JetSki ou lutar com espadas (esse último eu não costumo fazer na praia, mas tudo bem, pois o que vale mesmo é a paisagem ao fundo...).






Para terminar a conferência da Nintendo, apagam-se as luzes e um cara com o Wiimote e o Nunchuk em mãos e a Balance Board em seus pés aparece e começa a batucar no ar e pisar repetidamente. No telão é possível ver a bateria virtual tocada por ele. Eis que surge um saxofonista usando o controle do Wii para tocar tal instrumento. Estou falando de Shigeru Miyamoto, criador de Mario e Zelda que apresenta seu mais novo título: Wii Music.


Não será preciso apertar botões nos momentos certos para tocar as músicas, como é o caso de Guitar Hero. Os gestos são necessários e os botões servem para alternar tons de sons desejados. O jogador poderá tocar os instrumentos da maneira que quiser, sem precisar acertar as notas musicais ou se preocupar em errar. O objetivo do jogo é gravar vídeos de suas performances e juntá-los para formar uma orquestra. Isso pode ser feito com mais de uma pessoa e haverá 50 diferentes instrumentos musicais para tocar.


Ao final, alguns integrantes da Nintendo se unem a Miyamoto para tocar a música tema de Mario Bros..





“O grande objetivo da Nintendo é fazer as pessoas sorrirem”.



Confira abaixo os quatro vídeos da conferência:














Sem Mario, Zelda, Star Fox ou qualquer outro game que queríamos, ficamos apenas na espera. Infelizmente a grande apresentação da Nintendo foi abaixo das expectativas dos fãs. Não podemos ficar completamente tristes, pois títulos como Animal Crossing, GTA, SPORE, Pokémon, Wii Music, Call of Duty, Guitar Hero e Star Wars nos deixarão ocupados por um tempo. Pouco tempo.

14 comentários:

  1. Belo resumo da conferência, Felipão. Legal também a tradução integral do discurso do Iwata.

    Pena que não foi uma ocasião memorável como a E3 2006.

    Desses todos aí, fiquei levemente empolgado com o Wii Sports Resort, o Wii Music e o GTA para DS.

    No mais...

    ResponderExcluir
  2. Conferência secreta da Nintendo está acontecendo ou já terminou, eu não sei.
    Lembrem-se que o primieor trailer do SSBB foi anunciado em uma dessas conferências secretas, acho que hoje bem de noite ou amanhã nós teremos informações.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o texto!
    Apesar de ter tido anúncios legais agora na E3, ainda acho que decepcionou. Ainda mais por não terem falado de um novo Zelda =/

    ResponderExcluir
  4. Não me leve a mal não, mas acho que você tá transformando o blog, que era pra ser de variedades e curiosidades sobre a Nintendo, em um site de notícias.

    ResponderExcluir
  5. Sou responsável por trazer isso sim, mas o evento da E3 é grandioso demais para simplesmente deixarmos de lado. Este período de tempo em que mais noticiamos do que outra coisa, é proveniente da feira E3.
    Voltaremos às curiosidades, mas não deixaremos nossos leitores fora do que está ocorrendo.
    Ótima crítica!
    Abraço!!!

    ResponderExcluir
  6. OLHA AÍ GENTE UMA "SUPOSTA" ENTREVISTA COM AONUMA QUE VAZOU NA NET(PROVAVELMENTE FAKE, MAS AMANHÃ AQUI MESMO VOU POSTAR OS NEGÓCIOS DA CONFERÊNCIA SECRETA)


    The background is all futuristic, though.
    Btw, Interview:

    >Kyle: I would first like to thank you for allowing us to visit you here. I understand your team has been very preoccupied with preparing for your trip next month. We feel pretty honored to speak with you about this so early before E3.

    >Eiji Aonuma: [laughs] I admit it is rare that share information this early, but I convinced Iwata-san that your writers were trustworthy enough to keep our conversation here confidential until Project Deluge is announced at the expo.

    >Kyle: In that case, I can assure you the interview here will remain secret until July.

    >Aonuma: Good. Should we discuss the game then?

    >Kyle: Actually, I would appreciate if you could clarify the nature of the game. As in, what specifically do you have planned to reveal soon?

    >Aonuma: That’s a good start. Well Project Deluge is obviously not going to be the retail title. We have been speculating as to whether we should even call this a “Legend of Zelda” game at all. As for subtitles, Valley of the Deluge seems the most favored so far. Or Valley of the Flood as it will probably translate. It is a Wii title and is currently estimated to release around late 2009 at the earliest.

    >Kyle: That’s a long time.

    >Aonuma: [laughs] We spend at least two years on each console installment of the franchise and usually much more than that. There was a huge gap between Ocarina of Time and A Link to the Past as well as a sizable gap between Majora’s Mask and The Wind Waker. We intend to refine the game a great deal before 2009 though, so visuals won’t do it much justice.

    >Kyle: Is A Link to the Past still your favorite game?

    >Aonuma: I think it is. I have always strived to replicate its charm on some level. I think I did this best with The Wind Waker. The artists and musicians made something there that was more tangible than anything I’ve seen yet. More charming and immersive in a sense. I want to replicate that.

    >Kyle: Now before we begin discussing the game mechanics and art style of Project Deluge, I am interested in hearing about what you want to illicit from this game. What aspects do you want to focus on?

    >Aonuma: That’s a very good question. There are a few critical aspects of Deluge that I want to address. The first is a greater sense of psychological peril. Miyamoto and I have disagreed a great deal on the importance of storytelling in games. He argues for simplicity and straightforwardness and I have long believed that stories in games can be as powerful as in books if done well. So I want to assert that the game will have a much more complicated story in the sense that our hero is no longer mute.

    >Kyle: Because he isn’t Link, right?

    >Aonuma: I see you’ve already heard.

    >Kyle: Rumors mostly.

    >Aonuma: Mario will have to fix that leaky pipe one of these days. [laughs]

    >Kyle: [laughs] I hope not. Nintendo is secret enough as it is. Go on though, I’m interested in what else you intend to emphasize with Deluge.

    >Aonuma: I can’t divulge too much without compromising my agreement with Iwata-san, but I can tell you that because the hero is not Link this time, there is much more flexibility in terms of storytelling. I want to stress the craziness of the hero. Because this hero is not Link, but he thinks he is Link. You remember the opening of Wind Waker, correct? Where it spoke of how Link never came to slay Ganon?

    >Kyle: One of the best openings I’ve ever seen actually.

    >Aonuma: I’m glad. I think it was one of the best parts of the game. Well you’ll recall that Link never came and the gods essentially flooded Hyrule to destroy Ganon. So in this Hyrule. In this Hyrule I’m creating, no Hero of Time has surfaced yet and the entire land is crumbling as Ganon reaps more and more power. The races are hopeless at this point. Basically, all of Hyrule is in chaos. But this boy deludes himself into thinking that he is the Hero of Time. And of course, as the story progresses he will begin lookin more and more like Link. Physically he’s different though, with black hair and more defined musculature and such. He’s obsessed of course, and wears a green tunic as Link did, forges a sword and shield similar in appearance to Link’s, and actually begins confronting Ganon’s followers. This works well considering Ganon is much more of a lunatic this time around. He’s basically gone mad and the game’s cinematics will sometimes jump to him and show this madness overpower him over the course of the game.

    >Kyle: So the main character is insane? I like this idea.

    >Aonuma: That’s a good way of putting it I suppose. He is insane, yes. But he’s good. He’s altruistic and a kind-spirited warrior. He has more layers of emotion than Link because he speaks in the game. He also has a pretty disturbing backstory. It’s not as dark as it sounds though. That brings me to my second point actually. So psychological depth is the first, but I want to address the game’s tone.

    >Kyle: Please go ahead. [laughs] You’re covering most of my questions already.

    >Aonuma: I’m glad. [laughs] Now I’ve heard many fans tell me that they’re interested in a steampunk-influenced Zelda, even though the series has always maintained a very medieval foundation. I thought about this shortly after completing [Wind Waker], and I started compiling ideas in my head and eventually relayed them to Miyamoto-san, who seemed surprisingly pleased with the idea of a more progressive Hylian history. We had a meeting halfway through development of Twilight Princess and agreed to set aside an entire portfolio of ideas for a more industrialized Hyrule. We figured that if Hyrule has enough time to develop its kingdom, it would eventually discover the steam engine and gunpowder and such. Well gunpowder was there to begin with. We’ve had cannons in Zelda, so I suppose you could say that Zelda was always really in a kind of medieval-steampunk limbo.

    >Kyle: What exactly do you have planned for this kind of transition? I mean, do you actually want guns in the Zelda universe, or is that just wishful thinking on my part?

    >Aonuma: Muskets, certainly. They wouldn’t be the kind that you’re familiar with though, and all items we create in the universe will retain their respective fantasy styles. So for instance, you can expect a deku musket that fires gunpowder-filled deku nuts. It sounds a bit obscene, but when you see the concept art and visuals in July, you’ll realize how well it all merges with the world. I don’t want to spoil too much, but we intend to have a railroad system in Hyrule. It’s actually something I’ve wanted to implement since Majora’s Mask, but we’ve never had a large enough world, you know?

    >Kyle: That could be incredible. How big is the world going to be?

    >Aonuma: My third point. I think Wind Waker had it right, but it needed to approach travel with more variety. Sailing was a very polarizing aspect of the game, and I think we need to look at the sheer number of possible modes of transportation. Of course our hero in Deluge will have a horse—a black one actually, with these ethereal white spots that illuminate in the dark; I think it’s quite interesting and captures the otherworldly tone I’m looking for in the game. But yes, he has a horse and access to a train, as well as an unusual method of flight. I’ll talk about all of this at E3 and I don’t want to spoil much, but I want to emphasize that this game will be breathtakingly massive. Not just in scale, but in the amount of sidequests and secret items and even mini-dungeons we’re trying to implement. It’s the largest Zelda so far in terms of land. We want realism and consistency in the world, such as believable rivers and brooks and water effects. Especially water effects. [laughs]

    >Kyle: Amazing. Do you have any concept art I can look at, or is that too much to ask?

    >Aonuma: Not this time, I’m afraid. You’ll see it soon enough though. I’m even a little stunned at what my co-workers have created, and that’s saying something since I worked with them on so many amazing games.I’ve always wanted to surpass A Link to the Past and I think I might with this. Who knows?


    >Kyle: The Wind Waker has always been my favorite Zelda game, but I think this should easily topple it. Now what are your other goals?

    >Aonuma: Let’s see. Hero, tone, scale…. Well aside from fully orchestrated music-

    >Kyle: Finally!

    >Aonuma: [laughs] Yes, the music will all be orchestrated this time. I know that was a complaint of Twilight Princess, so I hope we can remedy some of the sound complaints this time. Voice acting and orchestrated music are very important to us right now. But yes, I’m drawing a lot of artistic inspiration from Majora’s Mask. I think that game was so real partly because of its overarching sense of despair. Deluge will be hopeful and more innocent at times, but it is still a story of the apocalypse. Remember that this game is centralized around the Great Flood of Hyrule, and concerns, in part, the salvation of various Hylians from total destruction, which the hero will influence in part.

    >Kyle: So that’s his purpose, then? Is he occupied partly with saving Hyrule’s people?

    >Aonuma: You’ll have to wait a while, because this is still very integral to the core plot, which I can’t spoil right now. I can tell you that his primary motive is destroying Ganon, but you can imagine how difficult this is without the Master Sword or Light Arrows. So battling Ganon and saving Hyrule are both key components of his journey, and in order to immerse the characters as fully as possible, I want to draw the sense of urgency present in Majora’s Mask. The flood doesn’t occur until later in the story, but when Hyrule floods, it does so in real-time. What I mean is, Link will not have the opportunity to wander the world aimlessly at that point, as Hyrule Field and the Gerudo and Kokiri territories—all the towns aside from the Goron tribes in Death Mountain, essentially—will become huge bodies of water. And of course there will be an immense variety of new enemies and such to add depth to this.

    >Kyle: Will the hero actually be able to use iron boots to explore an underwater Hyrule, or will it be a suspended reality similar to that of Wind Waker?

    >Aonuma: A bit early to say, but I don’t think you’ll be disappointed. The Zora race will survive of course, and their influence on saving Hylians is pretty interesting. But you remember that in Wind Waker, the races evolved physically?

    >Kyle: I hope the game explores that, actually.

    >Aonuma: It might. We’re drawing more power out of the Wii than ever before with this. I’m very excited. [laughs]

    >Kyle: I am too, you have no idea. Well I’m very grateful for your willingness to speak with us today. You can expect to read the interview shortly after the E3 showing and I hope to see some concept art soon. This game sounds incredible so far.

    >Aonuma: I’m glad you think so. I’m very pleased with its progress as well and I hope gamers will find it our most compelling game so far.

    Acho que ninguém vai ler tudo.Mas com o hype nós acreditamos em tudo né.

    ResponderExcluir
  7. Wii Sports Resort foi a única coisa que me chamou atenção. Claro que o GTA tbm, mas não tenho um DS (por enquanto), hhehehehehehe.
    Acho que é isso.
    Excelente texto, Panettoni. Continue bem empenhado, faça uma facul de jornalismo, e vc tem futuro!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  8. bom resumo e boa tradução
    sim a conferencia nao foi tudo akilo q esperavamos...mas eu ja sinto uma emoção muito grande quando o iwata começou a falar hehehe..
    quanto aos jogos anunciados to na espera de animal crossing [ quando sair postarei fotos do microfone] e gta..mas acredito q gta ja encheu....são varios titulos e sempre a mesma coisa..nao muda nada

    ResponderExcluir
  9. .. não muda nada, mas agora é no DS xD - eu quero esse GTA.

    Ótimo texto, Panettoni. Mandou muito bem. Permita-me algumas correções:


    - Cammie Dunnaway não é simplesmente a apresentadora; Ela é vice-presidente da NOA, e atual gerente de marketing e vendas (o cargo anterior do Reggie);

    - O Nintendo DS será o único PORTÁTIL a ter o jogo SPORE, em uma versão especialmente para ele;

    - O nome do novo Pokémon Ranger é "Pokémon Ranger: Shadows of ALMIA";

    - O comentário sobre o sucesso de Cooking Navi não foi á toa. Uma versão ocidental (ou norte-americana, como preferir) será lançada no final do ano;


    No mais, é isso. Esperávamos mais, com certeza, mas não dá pra negar que foi uma boa conferência. Se a E3 como um todo já não é mais "aquela maravilha", porquê a Big N deveria gastar todas suas fichas em uma manhã apenas?? Eu curti os anúncios para DS, e para Wii também - ainda temos muuuuito chão pela frente.

    E fica o recado: A E3 não vale mais o hype.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Pikmin 3 anunciado.
    www.wii-brasil.com

    ResponderExcluir
  11. Correções feitas, Hunterpiro!!

    Valeu!!!

    ResponderExcluir
  12. Boa, panetoni!

    E sem querer respondi à GNCG de hoje antes dela aparecer xD

    ResponderExcluir
  13. mt bom o texto, deu uma boa resumida e interessante

    ResponderExcluir