29 de abr de 2008

Salve, salve, Nintenerds!

O nome é Vinícius, mas se gritar Vini eu já atendo. Assim como o Panettoni, vim do WiiManiac para colaborar com o Nintenerds e estarei inferniz... digo, trabalhando duro para deixar os Nerds que aqui frequentam atualizados.

Minha história com os games é um pouco engraçada. Vou resumir: Minha mãe, grávida de mim, comprou um Atari. Com 3 anos eu já conseguia chegas à terceira fase do Megamania (Que eu jogo até hoje, vale ressaltar). Alguns anos depois, meu pai me presenteou com um Top-Game, clone do NES feito pela CCE. Mais um tempinho depois e me tornei dono de um Turbo-Game, outro clone do NES feito pela CCE, mas nele cabiam os cartuchos de 16 pinos, como meu pai dizia. Aqueles cartuchos grandões de NES. Com o Turbo-Game, veio o Super Mario 3 original. Lindo. Jogava todos os dias.

Mais algum tempo depois e pedi ao meu pai um Super Nintendo. É claro que eu queria jogar Super Mario World. Meu pai me deu um Mega Drive. Frustrei, mas jogar Sonic até que era legal, o que me tornou fã do veloz porco-espinho azul. Os anos foram passando, eu com o meu Mega Drive, a nova geração chegou: “Pai, quero um videogame de cd. Aquele Playstation.” “Tá bom, filho.”, respondeu meu pai. Chega o aniversário: Uma caixa me esperava. Abri, ansioso, por meu videogame de CD. Não era um Playstation, era um Saturno, também da Sega (Sabe-se Deus qual o pacto que meu pai tinha com a Tec-Toy). Lá fui eu, me adaptar novamente a Sega. No colegial, fiz um rolo com um amigo e troquei meu Saturno pelo Nintendo 64 dele. Quatro controles, mais amigos jogando, lá fui eu cair de cabeça no meu primeiro console Nintendo. Super Mario 64, Mario Party, Pokemon Snap!, Pokemon Stadium 1 e 2, Starfox 64, Smash Bros, jogava todos! Finalmente tinha um console do meu gosto. Mas eu precisava ter Pokémons para jogar Pokemon Stadium. Ora, um GBA estava de bom tamanho (Além de não precisar atrapalhar quem assistia a novela das 8, na sala). Infernizei a casa inteira por conta desse GBA. Papéis de parede no PC, avisos no celular do meu pai, todos os dias infernizando. No próximo aniversário, então, conquistei o tão esperado Gameboy Advance, o modelo azul claro transparente. Bonito que era. Mas o Nintendo 64 estava ultrapassado. Game Cube, passar meus Pokemons do Sapphire para o Pokemon Stadium que viria (Que se tornou Pokemon Colosseum, que de Stadium não tinha nada), Mario Party 4, 5, 6, 7, a continuação do Super Mario 64 (Que foi frustrada, vale ressaltar!)... A tática de infernizar, como fiz no GBA, não deu certo dessa vez, e o Game Cube só chegou no Natal de 2003, quando um amigo de meu pai trouxe direto de Miami. Prata, coisa mais linda. Então lançaram um Gameboy Advance que tinha luz e bateria. Era isso que eu precisava e, já trabalhando, consegui um GBA SP Flame. Esse me dá saudades até hoje. Foi um grande companheiro. Mais alguns anos depois, novo portátil. Duas telas? Tela sensível? Praticamente um Nintendo 64 portátil? Super Mario 64 DS???

Vendi, com pesar, meu vermelhinho e consegui o Nintendo DS, prata. Diversão garantida. Como a Nintendo gostar de melhorar cada vez mais, lançou o Nintendo DS lite, e claro que meu espirito consumista caiu nessas, trocando meu DS por um DS Lite Preto. Mas a revolução estava por vir e, em Agosto de 2007, vendi meu DS, os jogos, o Game Cube, e com mais algumas parcelas (E muito, muito pesar de ter vendido o DS e os tantos jogos que eu suei para comprar) entrava em minha casa o Nintendo Wii, que está aqui até hoje e passa bem, graças a Deus, obrigado! E fim do resumo. Foi pouco, falem a verdade!

Eu, como podem percebem, sou louco, falo (E escrevo) mais que a boca (e que os dedos), tenho 22 anos, moro em Guarulhos, trabalho com um vereador, estudo jornalismo, passo boa parte do meu tempo livre jogando Super Smash Bros. Brawl e vou vivendo, pois tem gente que não joga e tá morrendo! E tenho dito!

17 comentários:

  1. e que história hein...
    eu passei por quase todos esses consoles tbm...mas tenho eles guardados até hoje aí no brasil....
    sempre quis um play..e acabei ganhando o saturn japones hauahauh

    ResponderExcluir
  2. O.o Mais um?!!

    Bem vindo ao Nintenerds!! Muito legal sua história! Boas postagens, cara!


    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, Hakoyama!!
    E eu bem que gostaria de ter conservado esses consoles. Seria uma pessoa muito mais feliz em filas de banco com o meu DS. hehehe.

    E mais um, hunterpiro. Invasão geral aqui!!! uahuahauha. Abração!

    ResponderExcluir
  4. Koopa, me tire uma dúvida: vc tah namorando?

    ResponderExcluir
  5. Fiquei comovido com sua estoria.

    na verdade eu so li o inicio o meio e o fim. Mesmo esquema de assistir novela da globo.

    Vamos economizar heim. Quero ver imagens. façam quadrinhos e escrevam menos.

    Me falem de coisas que nao sei.

    eu passei um super furo do novo DS e ninguem postou a minha foto aqui.

    será que nao era pra falar?

    ResponderExcluir
  6. AUHAUHAUHAHU me divirto com o Coliseu, sempre bem humorado.

    Vini, seja bem-vindo Rapá.

    Hunter, contratações de peso.
    Agora só cobrar o pessoal. Ah, e o Hakoyama está mexendo uns pauzinhos lá no Japão. Logo logo novidades.

    ResponderExcluir
  7. Hakoyama >> pauzinhos >> Japão.

    Boa, Daniel!

    ResponderExcluir
  8. Bem vindo Vini!!!! Aliás, gostei da história...hauahuahua!!!

    Abraço!!!

    ResponderExcluir
  9. Ae, Vinícius e Panettoni!

    Fico feliz de ver vocês aqui no Nintenerds, caras. Achei que o Daniel tinha gasto todo o caixa do site no Mario Kart Wii, mas bom ver que há uma verba destinada a contratações de peso.

    Já acompanho diariamente o blog, agora vou ter de mudar para checadas de hora em hora - como Telesena - para ler com calma as belas narrações e dissertações do Vinicius.

    Up the irons!
    Nintenerds FTW!

    Abraços e sorte, pessoal!

    Falow!

    ResponderExcluir
  10. Claudião, nossa conversa no final de semana deu resultado. HUAAUHAHU


    Grande abraço

    ResponderExcluir
  11. Bem-Vindo, gostei dessa sua última frase sua, e quero ver seus posts no blog, espero que sejam tão bons quanto o do Daniel vlw.
    Quero ver um torneio de Mario Kart ainda.

    ResponderExcluir
  12. Fala Anônimo, valeu pelos elogios.
    Coloca seu nome da próxima vez pra gente saber.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  13. Que bom vejo que o blog está evoluindo e crescendo!!!

    Eu sou nintendista assumido nunca tive um video game sem ser da nintendo tenho um super nintendo, um Game Boy tijolo comprado em 1993 (raridade), vendi o meu 64 foi uma boa proposta não pude evitar (mas tenho saudades), e vendi meu game boy light, agora com o meu wii mario kart e smash bros não sai do console!!!

    Seja Bem Vindo!!!

    PS: sou um leitor exigente!!!

    ResponderExcluir
  14. Bem vindo Vini!!
    Legal sua história, lembra um pouco a minha, sendo que eu segui a linha da nintendo, tendo só como o bastardo um psone ^^
    E eu tenho um problema sério, não consigo vender os consoles, eu gosto de colecionar xD

    ResponderExcluir
  15. Carol, sou igual você..
    Mas as vezes preciso vender uns jogos pra comprar outros hehe.

    MAs contra minha vontade.

    ResponderExcluir